Seu evento

Seu evento começa aqui
Encontre fornecedores para seu evento

Informativos

Artigos e Dicas
Veja 50 dicas de especialistas para economizar dinheiro

Veja 50 dicas de especialistas para economizar dinheiro

dinheiro na mão, como gastar dinheiro na crise, dicas de como economizar dinheiro, economize dinheiro

Poupar deixou de ser opção e se tornou item de necessidade entre as pessoas. Por isso, A Cidade foi ouvir especialistas em economia e orçamento doméstico de Ribeirão Preto e selecionou 50 dicas que vão ajudar você a acertar as contas em casa e afastar as suas finanças do sinal vermelho. Coloque em prática os ensinamentos desse pessoal o mais rápido possível e confira que economizar não é, assim, um bicho-de-sete-cabeças. Boa leitura e (por que não?) boa economia! 1 “Existe um ditado britânico que, adaptado para o português, seria algo assim: “Cuide dos centavos que os Reais cuidam de si próprios”. Enfim, a dica geral é cuidar bem dos seus ganhos, eles são valiosos.” Alex Ferreira, professor da faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 2“O primeiro passo é planejar: quanto ganho e onde vou gastar meu dinheiro. Pergunte-se sempre se determinado gasto é realmente necessário naquele momento. Pense em termos percentuais e, depois, aplique isso.” Alexandre Nicolella, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 3“Anote as fontes de receita e onde os gastos são realizados mensalmente. Dessa forma é possível verificar como está o orçamento familiar e, caso ele esteja deficitário, saber como acertar caso for preciso.” Luciano Nakabashi, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 4“Tudo bem registrado, é hora dos cálculos. Saber se a situação é superavitária ou deficitária. Esse diagnóstico é fundamental para a decisão das medidas a serem tomadas, assim fica mais fácil conseguir uma organização.” Anderson Romanello, coordenador do curso de Economia da Moura Lacerda 5“Além da questão econômica do país que é, de fato, bastante séria, temos algo tão grave para nos preocupar, a questão da água. Economizar nesse quesito é importante, tanto financeiramente quanto na questão ambiental.” Alex Ferreira, professor da faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 6“É público e notório que precisamos anotar os gastos que temos para sabermos nos organizar e saber onde estamos errando, mas também é fundamental que a gente não se acomode caso esteja no azul.” Anderson Romanello, coordenador do curso de Economia da Moura Lacerda 7“Evite comprar sem necessidade – compras desnecessárias acabam gerando gastos desnecessários também. E isso pode ir se avolumando, ganhando corpo, tornando-se algo maior e um complicador para suas finanças.” Leny Paschoal, professor do curso de Administração da Unaerp 8“Nunca é demais repetir: evite tomar dinheiro emprestado, pois as taxas de juros estão muito altas e o cenário, incerto. Usar crediário nesse momento pode ser um caminho muito rápido para empobrecer.” Alex Ferreira, professor da faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 9“Sempre que puder, pague à vista e peça desconto. A loja sempre deve dar uma vantagem para o cliente. Tenha em mente que o momento também não é de satisfação para os lojistas, eles precisam vender.” Fred Guimarães, economista da Acirp 10“Sabemos que é necessário cortar gastos na hora de fazer compras, mas, também é necessário fazer um trabalho de procura na hora que está no mercado – olhar ofertas, promoções...” Anderson Romanello, coordenador do curso de Economia da Moura Lacerda 11“Se você está com os filhos com idade para ir à escola, lembre-se da necessidade de proporcionar condições para que ele tenha um bom futuro. Controle seus gastos desde já, pensando nisso.” Luciano Nakabashi, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 12“Importante salientar também que a crise é uma bela oportunidade de fazer dinheiro e se estabelecer para quando esse momento passar. Por isso, é fundamental estar atento às oportunidades de negócios.” Anderson Romanello, coordenador do curso de Economia da Moura Lacerda 13“Crie um relacionamento com o lojista: estimule a proximidade, pois o clima mais amistoso nos negócios favorece melhores condições e isso pode gerar benefícios para ambos os lados.” Fred Guimarães, economista da Acirp 14“Abra a janela e desligue o ar-condicionado. Sim, ainda dá para deixar o ar-condicionado desligado em Ribeirão Preto! Este artefato eletrônico é um dos que mais consomem energia elétrica.” Marcelo Maçonetto, gerente regional do Ciesp 15“Em geral, os filhos vêm depois de algum tempo da entrada na fase adulta. Portanto, é preciso chegar preparado nessa fase, pois os gastos aumentarão. Em outras palavras, o ideal é que os gastos sejam menores que o rendimento antes que os filhos apareçam.” Luciano Nakabashi, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 16“Uma coisa que pode ser delicada, porém vantajosa. Desde que haja um bom relacionamento entre todos, importante para economizar pode ser estimular compras coletivas entre amigos e parentes.” Fred Guimarães, economista da Acirp 17“Caso more em condomínio, fique atento aos possíveis gastos feitos pelo prédio em todas as áreas. Exija do síndico ou do zelador medidas para economizar e diminuir as despesas mensais.” Marcelo Maçonetto, gerente regional do Ciesp 18“Cursos de capacitação na própria área de trabalho, pois esse é um dos melhores caminhos para elevação dos rendimentos. Em qualquer área de trabalho é preciso se reciclar para, ao menos, não ficar para trás.” Luciano Nakabashi, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 19“Mantenha um estilo de vida que seja condizente com o seu salário. Crie hábitos e um modo de viver que seja adequado ao orçamento da sua família. Não é possível uma pessoa estar em um período de retração econômica gastando mais do que ganha.” Alexandre Nicolella, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão Matheus Urenha / A Cidade O medo de entrar nesse processo espiral de dívidas e mais dívidas fez a terapeuta ocupacional Marina Ferreira Cavalieri Milloti, 61 anos, revelar que o momento econômico a fez repensar projetos. “A crise me fez mudar um pouco em relação ao que pensava profissionalmente. Adiei viagens e tenho planejado os investimentos na minha clínica mensalmente”, diz (foto: Matheus Urenha / A Cidade) 20“Procure pagar suas contas à vista. Caso tenha a necessidade de utilizar o cartão de crédito, pague o valor total no dia do vencimento – evite ficar protelando dívidas desnecessárias em um momento não propício.” Leny Paschoal, professor do curso de Administração da Unaerp 21“Renegocie e repense dívidas fixas consideradas indispensáveis hoje em dia – aquelas que, na verdade, a gente consegue viver sem, como os combos de TV, internet e celular. Contrate planos mais simples.” Marcelo Maçonetto, gerente regional do Ciesp 22“Faça metas de investimentos que darão tranquilidade no seu futuro. Construa patrimônio para que possa reduzir o seu trabalho no futuro. Com esse tipo de visão holística sobre os próprios passos, você pode não ser tão afetado por fatores externos.” Alexandre Nicolella, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 23“Importante lembrar e ter sempre em mente o inevitável – vamos ficar velhos, pode demorar, mas ficaremos. Sendo assim, nossos gastos aumentarão. Sempre que formos gastar, é bom pensar nisso.” Luciano Nakabashi, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 24“Claro que ninguém quer ou deseja a morte de ninguém, todo mundo tem que viver o máximo de tempo possível sempre, mas acidentes e imprevistos acontecem. Pagar coisas relativas ao nosso funeral ajuda a economizar.” Luciano Nakabashi, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 25“A situação do país, em termos financeiros, é bastante delicada, não dá para ficar esbanjando. Reúna os amigos em casa e não nos barzinhos e boates da cidade”. Leny Paschoal, professora do curso de Administração da Unaerp 26“Ao realizar as compras de casa no supermercado, procure fazer uma lista com todos os produtos necessários e a quantidade a ser comprada. Pesquise preços e não vá ao supermercado com fome.” Leny Paschoal, professora do curso de Administração da Unaerp 27“Se organize para dar e pegar caronas o máximo que conseguir. Combine esse esquema com vizinhos, parentes e amigos. Assim, gastará menos com combustível e com a possível manutenção do veículo.” Marcelo Maçonetto, gerente regional do Ciesp 28“Para aqueles que têm dívida, comece pagando sempre a mais cara e negocie para conseguir juros menores. E se permita deixar uma possível conta a pagar de um tamanho que o seu bolso consiga carregar.” Luciano Nakabashi, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 29“Importante salientar novamente a questão da energia elétrica, questão muito delicada. Todo tipo de economia que a gente fizer nesse sentido é importante, inclusive, tomar banhos rápidos” Leny Paschoal, professora do curso de Administração da Unaerp 30“Renegocie na renovação do seu aluguel, mas comece com uns três meses de antecedência. Caso não consiga, com certeza haverá opção para alugar mais barato no mercado. Mas não se esqueça de considerar os gastos com mudança”. Marcelo Maçonetto, gerente regional do Ciesp 31“Hoje em dia, já existem meios da gente poupar um bom dinheiro com atitudes simples – vemos como uma lâmpada pode fazer toda diferença no fim do mês. Por isso, troque as incandescentes pelas de LED.” Leny Paschoal, professora do curso de Administração da Unaerp 32“Ser fiel no relacionamento comercial, na medida que isso traga vantagens de parte a parte, tanto para lojistas quanto para consumidores. As duas partes precisam se ajudar na crise, essa é uma boa alternativa”. Fred Guimarães, economista da Acirp 33“Se tiver filhos pequenos, é fundamental que você insira a criança já nesse contexto de aperto de cinto, de procura pela segurança financeira. Assim, eles terão consciência do quanto precisam ajudar.” Alex Ferreira, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 34“Nesse momento de retração econômica, o consumo desenfreado pode levar a pessoa a contrair dívidas sérias. Leve isso em conta, principalmente com gastos com roupas.” Leny Paschoal, professora do curso de Administração da Unaerp 35“A energia elétrica é um dos problemas mais sérios nesse período que estamos vivendo – a conta tem aumentado bastante nos últimos tempos. Por isso, procure o máximo de tempo que conseguir, assistir TV de luz apagada.” Leny Paschoal, professora do curso de Administração da Unaerp 36“Para estimular o hábito de poupança: é essencial retirar uma parcela das receitas e direcioná-las para uma poupança antes da realização de qualquer gasto, sendo que o orçamento precisa ficar equilibrado sem essa receita.” Luciano Nakabashi, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 37“Também é possível realizar cursos em outras áreas caso não esteja satisfeito na profissão e tenha intenção em mudar de área. Ficamos muitos anos trabalhando para fazer uma atividade profissional que não nos agrada.” Luciano Nakabashi, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 38“A pessoa ou casal precisa agir como se a poupança não existisse e como se a renda fosse menor do que realmente é. Pense que o governo retirou a parcela que vai para poupança e que não há como recuperar essa receita.” Luciano Nakabashi, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 39“Procure resolver sozinho mais coisas na sua casa do que contratando o serviço – de instalar chuveiro novo a pintar a casa. Hoje, na internet, já há vídeos com o passo a passo para fazer praticamente tudo – além de você não gastar tanto, e se tornar mais independente.” Marcelo Maçonetto, gerente regional do Ciesp F.L.Piton / A Cidade A empresária Mariana Oliveira, 33 anos, conta que, embora não tenha optado pelas caronas, a opção por reduzir os gastos com veículo, contribuiu para o equilíbrio das finanças da família. “Tomamos várias medidas para ficar longe do ‘vermelho’... Uma delas foi que eu e meu marido decidimos usar um carro só. Isso nos ajudou a cortar 20% dos custos”, comenta (foto: F.L.Piton / A Cidade) 40“O momento econômico não deve fazer com que você e todos que estão perto se desentendam ou percam a calma. É preciso poupar sim, mas, sempre com alegria.” Alexandre Nicolella, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 41“Ainda levando em conta o momento da Economia do país e, principalmente, essa questão da crise energética, não deixe carregadores nas tomadas e nem equipamentos no stand by.” Leny Paschoal, professora do curso de Administração da Unaerp 42“Vale salientar que estar no vermelho não é o fim do mundo. É difícil, mas a situação tem mil maneiras de ser revertida e tudo ficar bem. Porém, para isso, estar calmo é primordial.” Anderson Romanello, coordenador do curso de Economia da Moura Lacerda 43“Evite levar crianças às compras no supermercado. O fato delas pedirem itens que não estavam na sua lista pode atrapalhar seu orçamento e fazendo você gastar mais do que gostaria” Leny Paschoal, professora do curso de Administração da Unaerp 44“Sempre na nossa vida é importante saber o que é importante e o que pode ser deixado de lado. Separe os gastos em três categorias: o que é indispensável, o que se pode diminuir o consumo e o que podemos abrir mão.” Anderson Romanello, coordenador do curso de Economia da Moura Lacerda 45“Converse abertamente e claramente com seus familiares sobre as finanças. Planeje sonhos juntos, estabeleçam metas para todos e faça com que todos estejam envolvidos no mesmo objetivo.” Alexandre Nicolella, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 39“Procure resolver sozinho mais coisas na sua casa do que contratando o serviço – de instalar chuveiro novo a pintar a casa. Hoje, na internet, já há vídeos com o passo a passo para fazer praticamente tudo – além de você não gastar tanto, e se tornar mais independente.” Marcelo Maçonetto, gerente regional do Ciesp 46“Daquilo que podemos abrir mão, vale considerar que será apenas por um período. Pense em itens em que se pode diminuir o consumo, assim, você consegue abrir espaço para o que considera primordial.” Anderson Romanello, coordenador do curso de Economia da Moura Lacerda 47“O status, em momentos extremos, precisa ser deixado de lado. Em festas, não tem problema algum repitir roupas – se até a mulher do príncipe William, da Inglaterra, faz isso, por que você não pode?” Leny Paschoal, professora do curso de Administração da Unaerp 48“Faça cursos de investimentos, pois a aplicação em caderneta de poupança é deixar de ganhar no longo prazo. No Brasil, onde as taxas de juros são elevadas, não é difícil ultrapassar os rendimentos da caderneta de poupança com segurança.” Luciano Nakabashi, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão 49“Fazer academia e exercícios físicos é saudável. Não é para deixar de se exercitar, mas, em caso de necessidade econômica, talvez valha procurar uma academia com um preço mais em conta.” Leny Paschoal, professora do curso de Administração da Unaerp 50“Seja perseverante e não desanime. Não admita que um momento complicado que o país atravessa atrapalhe ou impeça você de realizar algo. De forma sistemática, relembre o motivo do esforço, ou seja, seu sonho!” Alexandre Nicolella, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP/Ribeirão

Artigos e Dicas
O seu cliente e o fator UAU!

O seu cliente e o fator UAU!

surpresa para o cliente, surpreenda o cliente em brasilia, o fator ual do cliente

Você já leu o livro “O jeito Disney de encantar os clientes”(ed. Saraiva)? Se não leu, sugiro a leitura. Este livro explica o jeito Disney de tratar os seus clientes e a busca pelo que chamaram de Fator UAU, que pelo termo já dá pra imaginar o que é, certo? Já falamos em outros artigos aqui neste blog – sobre a necessidade de as empresas terem um propósito claro. Algo que vá além do lucro puro e simples. Um propósito verdadeiro que seja absorvido e praticado pelos colaboradores e sentido, conscientemente ou não, pelos clientes. Peter Drucker disse no seu antigo livro A Prática da Administração, que o objetivo de uma empresa é desenvolver seus clientes, e que uma empresa é visionária quando deixa de olhar para os seus problemas e coloca o foco na resolução dos problemas dos seus clientes. Bem, como unir isso tudo agora? Para isso, tenho que fazer outra pergunta: você conhece de verdade quais são as expectativas do seu cliente (sim, no singular)? Quando ele liga no seu SAC, entra na sua loja, compra um produto, entra no seu site, enfim, quando se relaciona com você? Arrisco a dizer aqui sem medo de errar que a grande maioria das empresas não conhece realmente as expectativas dos seus clientes. Elas acabam focando mais no próprio umbigo e na busca incessante por altos resultados financeiros de curto prazo, não percebendo o elevado custo que isso traz no longo prazo. O indicador passa a ser a reclamação do cliente. Se não há muita reclamação, então está tudo bem. Isso é refletido diretamente, por exemplo, na forma de gestão de SAC’s ou na falta de um simples sorriso de um vendedor (que está pensando apenas em atender rápido, vender e passar para o próximo alvo). O livro da Disney traz uma definição interessante sobre atendimento ao cliente: Atendimento de qualidade significa superar as expectativas dos convidados (clientes) e prestar atenção aos detalhes. Parece simples, não? Porém, traz toda a essência e o propósito da Disney e dá duas dicas implícitas: expectations 1º dica – É necessário reconhecer as expectativas para conseguir superá-las. 2º dica – É prestando atenção aos detalhes que saberemos como superá-las. O Fator UAU é basicamente isso. Conhecer seu cliente a ponto de saber quais são as suas expectativas e trabalhar para superá-las a todo momento. Fazer o que ele espera apenas não basta. É preciso conseguir fazer sempre mais. Mas isso só funcionará de maneira eficiente se sua empresa tiver um propósito claro e se seus colaboradores forem cúmplices nisso. O Fator UAU deve ser buscado por causa de uma diretriz corporativa e não apenas por iniciativas individuais de colaboradores. E como diz a segunda dica acima, são nos detalhes que as expectativas serão superadas. E na grande maioria das vezes, em pequenos detalhes que não são onerosos em termos financeiros, mas que trazem um verdadeiro reconhecimento de que o cliente é importante para a sua empresa. E para finalizar, uma terceira dica importante: se a sua empresa não tiver um propósito muito claro, resolva isso antes de criar ações de comunicação e de marketing como formas para tentar fazer seus clientes experimentarem o Fator UAU, porque elas não conseguirão ser verdadeiras e sustentáveis. Márcio Oliveira é sócio da agência de marketing youDb

Publicidade